domingo, 10 de outubro de 2010

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

"O Mensageiro", número 3, Outubro de 2010



Para visualizar as páginas em tamanho maior, vá clicando no botão esquerdo do mouse sobre as imagens. Você deverá ampliar uma página por vez.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Por do Sol na Baleia (Paulo H. Gregory)

O Por do Sol na Baleia é um espetáculo único a cada dia, especialmente na época das águas, inigualável e irrepetível. O astrólogo residente Paulo Henrique Gregory, tem registrado este espetáculo recentemente, e abaixo reunimos algumas destas belas imagens realizado desde o Secret Garden, Fazenda dos Dois Sóis, Centro Arca do Tempo. Para ver maior, clique sobre a imagem.



















O céu da Chapada é uma coisa fenomenal, fantástico para a observação dos astros.
Há tantas estrelas que chegam a desfigurar as constelações... quase como se a Via Láctea tivesse tomado conta de tudo!
E não é só o céu, há um momento mágico também na terra, quando chega a primavera e começa a proliferação dos grandes vaga-lumes, é como se as estrelas caíssem na terra e esta se fundisse com o céu. As árvores viram árvores-de-Natal de tantas luzes que adquirem.
Lá é fácil enxergar a Ursa Maior, e Vênus é tão grande que chega a espantar.
A beleza e a vastidão alimentam a alma, são coisas simples mas grandiosas, que representam valores essenciais que nos elevam, equilibrando a vida e redimindo a alma.
"Qualquer caminho de grandeza conduz ao Infinito" (Agni Ioga)
"A religião do futuro é a religiosidade cósmica" (A. Einstein)
A felicidade é fácil, quando vivemos sob as estrelas e o pão é compartido na mesa.
Este é a magia e a esperança da Chapada.

LAWS

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O MENSAGEIRO - Número 1 - Agosto de 2010

Para visualizar as páginas em tamanho maior, vá clicando no botão esquerdo do mouse sobre as imagens. Você deverá ampliar uma página por vez.



sábado, 24 de julho de 2010

Sobre Alberto Frioli


É gratificante descobrir o trabalho do escultor Alberto Frioli no contexto das artes plásticas do século XXI. Em meio a tantas mostras a refletir sobremaneira o cenário desorganizado, mecanicista e, quase sempre, niilista da sociedade hodierna, encontramos uma proposta de reconstrução, renovação e reencantamento da vida, respaldada pela Tradição dos Mestres e dos mitos e símbolos imemoriais. O conjunto de sua obra parece revelar a aproximação de uma espécie de cultura alquímica, a contrapor-se aos padrões até então adotados, sussurrando segredos, desvelando mistérios e reposicionando o homem (e sua missão) no ciclo evolutivo do tempo, evocando o Ouroboros ou Aion dos gregos (de onde a palavra "eternidade" é derivada), de modo a definir um período cósmico entre a criação, a destruição do universo e sua recriação. Na verdade, percebe-se o alquimista e sua opus, em constante processo de transmutação, como que conclamando à coletividade a continuidade e a expansão de sua realização. Prazeirosamente, podemos pensar num sopro de Azoth, o último arcanum dos alquimistas, o espírito universal de Deus, em júbilo, criando através de suas criaturas.

Claudia Bento Alves – astróloga e artista plástica.

Sobre Luis Augusto Weber Salvi (LAWS)


O Professor Luis Augusto Weber Salvi vem desenvolvendo um prestigioso trabalho no âmbito da Teosofia Científica, revelando por meio de um embasamento científico-intuitivo, o processo de evolução que tem ocorrido no seio do planeta Terra, levando em conta as diferentes Raças-raízes e sua sucessão evolutiva, explanando, com brilhantismo e erudição, sobre alguns dos temas mais destacados da teosofia e do neo-teosofismo, apurados sob uma ótica que aproxima a Ciência e a Religião, assim como Arte e Filosofia.
Sua obra apresenta a Teosofia Científica como a visão dos “Mistérios Desvelados”, na qual Ciência e Tradição aproximam-se efetivamente, possibilitando uma abordagem integrada e universalista da Criação e de seus ciclos, enfatizando que a vida flui em constante evolução, ascendentemente mas também ciclicamente e através de processos estruturais (uma explanação sobre o tema, bastante didática e acessível, pode ser acessada aqui).
A extensão e o conteúdo do seu trabalho, só encontram paralelos em nomes como Helena P. Blavstsky e Alice A. Bailey –cada qual reservando um estilo próprio e também os seus focos direcionados de interesses-, que sabidamente trabalharam sob a orientação da Hierarquia, o que permite deduzir que LAWS também se insere nesta linha de atuação -mesmo porque, apenas sob a ótica humana, tal labor seria inconcebível-, além do seu trabalho se conectar diretamente a estas mesmas fontes nas suas raízes, enfim, dentro daquilo que Bailey chamou de o “Plano da Hierarquia de Preparação da Humanidade para a Nova Era”.

Claudia Bento Alves – astróloga e artista plástica.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

A Arca do Tempo


O que é a Arca do Tempo
A Arca do Tempo é um Centro de Cultura Holística, a expressão da Escola Una voltada para a atuação conjunta nas áreas de Arte, Ciência, Educação e Filosofia, dentro de padrões canônicos e arquetípicos. Nisto, existe o fomento do ecumenismo e da síntese, da prática e da renovação, assim como da restauração de valores positivos da Humanidade.

Os objetivos da Instituição


A Arca do Tempo visa reunir e difundir informações lapidares alcançadas nesta época de transição mundial, organizadas na intenção de atravessar os próximos séculos, levando no seu bojo conhecimentos teóricos e práticos, tidos como finais e definitivos, e alcançados com este propósito histórico dentro de processos únicos e irrepetíveis. Antes que a humanidade caia numa crise sem controle maior e as instituições possam entrar em bancarrota -como a própria Ciência já admite publicamente ser a tendência das próximas décadas-, em função de possíveis cataclismos ambientais e convulsões sociais que o próprio ser humano tem semeado sobre a Terra, face o seu quase completo divórcio com as forças superiores, mantido nestes últimos séculos de História mundial materialista.
Não obstante, estes conhecimentos, sujeitos a complementos e a desdobramentos progressivos, constituindo desta forma uma espécie de cânone elementar, serão capazes de auxiliar positivamente a humanidade a superar estas crises -todavia ainda sujeitas a se ampliar-, e então se reerguer vigorosamente, mediante a aplicação do conjunto das informações vitais reunidas na Arca do Tempo.

O acervo da Arca do Tempo

A Arca do Tempo possui acervo patrimonial e acervo custodial.
Dentro do acervo custodial permanente da Arca, merecem destaque duas “coleções” singulares, independentes mas consideradas mutuamente complementares (como forma & essência). Trata-se da obra preservada do artista plástico Alberto Frioli, com mais de 100 peças realizadas em traçado áureo, sobretudo o Harmonizador Planetário e o cavalo-alado Aquilon. E também da obra completa do filósofo e escritor Luís A. W. Salvi (LAWS), autor polígrafo com mais de 120 volumes, representando um autêntico Pramantha, ou uma obra canônica e perenialista, destinada a colocar os cimentos para a evolução da nova humanidade. Inclui-se ainda de forma honorífica, dentro do acervo custodial da Arca, as obras preparatórias das ama-nuenses Helena P. Blavatsky e Alice A. Bailey, e que juntamente com LAWS, integram o fulcro do “Plano da Hierarquia de Preparação da Humanidade para a Nova Era”, revelado por Bailey.


A plural obra revelada de LAWS: um novo cânon em mais de 120 volumes

Como atua a Arca do Tempo

A Arca do Tempo tem uma atuação cultural inovadora e diversificada e, ao mesmo tempo, integradora em seus princípios de fomentar Arte, Ciência, Educação e Filosofia. Neste rol de metas, incluem-se atividades culturais, sociais, espirituais e ambientalistas, com destaque para o Centro de Estudos Agarthinos - CEA.
No plano material, para efeitos simbólicos, o arquivamento das informações se realizará no entorno físico do Harmonizador Planetário, através de técnicas apropriadas.
Contudo, a Arca não é apenas um arquivamento passivo, contendo registros de conhecimentos-chaves legados à Humanidade nesta transição planetária. Ela se destina, acima de tudo, a ser antes um verdadeiro “arquivo vivo” de mentes e de corações pulsantes ao ritmo das novas energias mundiais, inspiradas e orientadas através do acervo artístico e intelectual pelo qual a Entidade busca zelar.
De fato, muitas e grandes energias se acumulam numa transição de épocas como a nossa. Por esta razão, a Arca do Tempo, profundamente inserida nos atuais calendários mundiais de transição em escala trina, como é a data profética de 2012, representa também um Grande Escola de Iniciação, Iluminação e Ascensão, destinada portanto aos três Centros planetários de consciência relacionados à Trindade divina, quer dizer: a Humanidade, a Hierarquia e a Divindade; cuja unidade tradicional, redentora e evolutiva, a Arca do Tempo vem fomentar.

Localização

A Arca do Tempo está estrategicamente localizada em região tradicionalmente destinada a esta espécie de instituição, a salvo de maiores turbulências ambientais e sociais, que é o Planalto Central do Brasil, na Chapada dos Veadeiros, cidade de Alto Paraíso de Goiás, distante cerca de 250 km ao norte de Brasília, conhecida por suas belezas naturais e afamada por muitos projetos místicos e futurísticos durante as últimas décadas.
Situada no quilômetro 10 da estrada GO 239, a área da Entidade está cercada de patrimônios naturais, pelo Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (com o Morro da Baleia, animal-símbolo bíblico da Arca, e a vereda do Jardim de Maitreya), por pousadas, sítios e comunidades rurais.
Merece quiçá, reflexão o simbolismo do Arcano X (pelo quilômetro 10). A “Roda da Fortuna” contém espírito de mudança, e o valor dez é chamado de “fractal-chave” dentro das Ciências calendáricas, porque a proporção de 10% resume os montantes e serve de impulsionador para as transformações maiores. Por isto este Arcano -que corresponde, da mesma forma, ao mover a Roda do Dharma (Lei espiritual)- está simbolizado na Cabala pela letra Iod, ou o dedo de Deus a acionar o “Fiat” da Criação.

Como participar e contribuir

Dotada de um acervo artístico e intelectual único, a Arca do Tempo representa seguramente um empreendimento maior, que almeja preservar e transmitir às gerações vindouras obras de arte e conhecimentos considerados lapidares, aspectos de um verdadeiro novo cânone a ser completado pelas gerações seguintes, dentro deste espírito original de unidade, evolução e de integração.
Para tudo isto, a Arca necessita concluir as suas instalações. Os recursos virão de doações, da venda de produtos e da venda de terrenos na Eco-Vila local. Também foi idealizado um sistema de colaboração física dentro do padrão “arquival” da Arca do Tempo: a “Praça dos Tijolinhos”, onde através de aquisição destas unidades é possível efetuar um registro pessoal.
A sua participação é o mais importante, pois tudo isto é para você e para aqueles que virão. Conheça e faça uso dos acervos da Arca do Tempo. A hora da realização final da humanidade tem chegado: busquemos todos juntos o caminho da Grande Luz.
Faça a sua parte: conheça, divulgue, participe e ingresse na Arca do Tempo! Seja parte desta nova tripulação abençoada que deverá ajudar a humanidade se reerguer sobre os seus próprios pés.

Outros projetos

Ao lado deste importante conjunto de metas, existem uma série de Projetos anexos que lhe dão complemento e sustentabilidade, tais como:

- Escola de Educação Integral
- Templo Ecumênico
- Pousada ambientalista
- Restaurante Natural
- Estufas para Agricultura Permanente
- Desenvolvimento de Eco-tecnologias
- Museu e Biblioteca Universalista
- Editora e Livraria

sábado, 12 de junho de 2010

Tabela Scola


CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

segunda-feira, 7 de junho de 2010

O Que é Ascensiologia


Ascensão é o ato de ascender espiritualmente, ao qual algumas correntes dão um caráter pleno absoluto, tornando esta conquista uma das mais extraordinárias da evolução humana e da hierarquia.
Considerada por alguns como a atual etapa de revelações da Hierarquia, a Ciência da Ascensão está relacionada à nova iniciação da Hierarquia, a sexta iniciação, visando suprir a evolução da Loja Branca e seu novo patamar de Unificação Vicária, o grau de Chohan.
Relacionado à Ufologia simbólica -evidente na tradição indiana dos Vimanas-(ver), e à Doutrina da Merkabah, a técnica da Ascensão espiritual encontra hoje expoentes de peso na neo-teosofia de Alice A. Bailey e no neo-xamanismo de Carlos Castañeda.
Ascensiologia é a Doutrina da Ascensão espiritual, é a Ciência da Iluminação dos Mestres de Sabedoria, os Chohans. A Projeção astral entra aqui apenas como um treinamento preliminar. Ascensão é a passagem da esfera solar da Hierarquia, para a esfera cósmica de Shambala, pelo portal da Sexta Iniciação, relacionada aos Sete Sendeiros de Evolução Superior dos teósofos. Ascensão está relacionada à doutrinas esotéricas como a da Merkabah, e mais remotamente à Ufologia, vista aqui como uma materialização dos altos Preceitos Ascensionais. Prova disto está no ensinamento oriental sobre os Vimanas, que apenas existem materialmente na Idade Negra (Kali Yuga), enquanto que nas outras Idades eles são sutis (relacionados a “mantra” na Idade de Prata, e a “tantra” na Idade de Bronze) e sequer existe da Idade de Ouro, quando o mundo todo vive uma espécie de ascensão antecipada.
Modernamente, tem sido conferidos dois ensinamentos profundos que tratam de forma mais categórica sobre Ascensão: Alice A. Bailey (neo-teosofia) e Carlos Castañeda (neo-xamanismo). Ambos colocam as bases reais para esta realização, através do treinamento iniciático e da própria iluminação. Isto passa ao largo de buscar falsos atalhos ou pretender reduzir o assunto a simples “experiência da consciência”. Embora a “consciência” se eleve, a Ascensão é, acima de tudo, um “fato energético” que alinha as vibrações do Iniciado com as esferas cósmicas. Hoje uma grande síntese é oferecida, através da codificação desta que é considerada a nova Etapa das revelações mundiais, relacionada também à Manifestação da Hierarquia, à Nova Era e ao Ashram espiritual da nova Raça-raiz, a Dinastia dos Mestres da Ascensão ou Chohans, os “Senhores” cósmicos dos Sete Raios Divinos. De fato,
“Ascensiologia” é uma palavra tão nova, que sequer existia ainda.

Retorno ao Blog

sexta-feira, 4 de junho de 2010

O Que é Astrosofia


Astrosofia é a “Sabedoria dos Astros”, uma alusão simbólica aos ciclos humanos de diferentes dimensões e grandezas, empregando os ciclos astrais como analogias de linguagem dos ciclos humanos, sem a pretensão da influência.
A premissa hermética “assim como é em cima é em baixo” (e vice-versa), trata meramente desta analogia que, de resto, pode haver sido “fabricada” ou organizada pelos estudiosos dos ciclos celestes.
A Astrosofia na obra de LAWS, alcança uma riqueza e diversidade muito ampla, havendo sido divulgada especialmente através da celebrada Revista Órion de Ciência Astrológica, “a única revista ecumênica especializada em calendários e astrologia esotérica no mundo. Demonstra ser a Astrologia um instrumento ideal para a leitura do universo cultural e da evolução cósmica.”
Também merece uma atenção especial o tema dos “Portais”, que se vincula hoje à questão dos calendários na abordagem desta obra, em função das mudanças de ciclos importantes como é a Nova Era, a Nova Raça, o Novo Ashram, a Nova Ronda, entre outros.
“O mundo vive atualmente um momento mui¬to especial, por se tratar do único em que todos os ciclos terminam jun¬¬tos para re¬co¬me¬çar, pro¬duzindo a grande Fenda que co-nec¬ta o centro à pe¬¬riferia, na chamada Grande Meia-Noite dos Tempos, onde os três ponteiros do Relógio Cósmico se reúnem, trazendo a Suprema Re¬velação à humanidade. Assim, todas as energias estão hoje em franca renova¬ção, razão pela qual o mundo inteiro está sendo abalado desde os seus alicerces.” (Crise, Regeneração & Evolução do Estado)
Tal coisa se reflete no estudo ecumênico dos calendários mundiais, e também na proposta de novos calendários, eventualmente adaptados às condições locais relacionadas aos novos pólos espirituais do mundo.

Retorno ao blog

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Teosofia Científica


A Teosofia Científica emprega a palavra “Ciência” num sentido amplo em favor da espiritualidade, seja em termos gerais ou específicos.
No geral, se trata de levar em consideração as idéias e as constatações da Ciência moderna, considerando que a Sabedoria “pós-racional” da nova raça-raiz representa se valer da razão como instrumento para a intuição, tratando-se assim de um retorno ao sensível de forma mais equilibrada e harmoniosa, próprio dos Mistérios do Coração.
De forma específica, se trata de empregar o Ocultismo Prático, a Ciência espiritual com propriedade e o Método esotérico com precisão.
Com isto, permite resumir e avançar nas duas etapas anteriores do Plano da Hierarquia, que veremos a seguir.

O Plano da Hierarquia

A Teosofia Científica é a terceira geração da revelação teosófica, dentro do Plano da Hierarquia de preparação da Humanidade para a Nova Era, anunciado por Alice A. Bailey em meados do século passado.
As Três etapas do Plano, devidamente completas, são:

1. Câmara do Aprendizado: Iniciante ... Sociedade Teosófica (HPB) .. Teosofia
2. Câmara do Discipulado: Iniciado ..... Escola Arcana (AAB) ............ Antroposofia
3. Câmara da Iniciação: Iniciado .......... Escola Agartha (LAWS) ........ Geosofia

A terceira e última etapa do Plano, que é a atual, “se desdobra na verdade nas duas sub-etapas raciais desta transição de Milênio: uma de Recapitulação racial (ligada à Raça Árya, através da sua sétima sub-raça) destinada à metade superior do país, e outra de Revelação racial (ligada à nova Raça Teluriana, mediante a sua primeira sub-raça) destinada à metade inferior da nação.” (“Glossário Holístico”, LAWS)

Ver mais
Ver também Escola Agartha de Filosofia & Mistérios e ainda Geosofia

Projeto-Exodus – um Mundo para Todos


O Êxodo é a grande solução social do espiritualismo, como um movimento social não-conflitivo que leva o alternativismo outsider às suas últimas conseqüências.
O Projeto-Exodus é estratégia social redentora, abençoada e de larga tradição na História sagrada dos povos, sendo este realismo histórico a ponta do iceberg da utopia sagrada de Deus: a Religião da Civilização, que é a Doutrina dos Manus ou os divinos Civilizadores.
Eis como o Mensageiro descreve a gênese do Projeto:
“Após escrevermos cerca de cem livros, parecia sabermos tudo o que é importante conhecer sobre o passado, o presente e o futuro. Porém queríamos mais: poder dar uma contribuição ampla e prática ao mundo, na esfera macro social, civilizatória ou racial, para além de conhecimentos esotéricos pessoais. Então fizemos novamente o nosso Pedido aos céus e apresentamos outra vez a nossa Oferta no altar. Porque ‘o coração do homem propõe o seu caminho; mas o Senhor lhe dirige os passos’ (Provérbios 16:9). Podemos querer algo, mas a forma de ter o sucesso depende da graça –a questão da disparidade entre poder e direção, pois “o homem propõe, Deus dispõe” (Thomas de Kempis). Daí a necessidade do sacrifício no altar. E então alcançamos a ‘graça’ pedida, a própria Matese ou ‘conhecimento supremo’. É o Projeto-Exodus – um Mundo Para Todos, teoria & práxis em movimento, fechando tudo o que tínhamos elaborado até então, porque diretamente inserido no rico contexto da Religião da Civilização.”

O Calendário Cronocrator

O Projeto conta com um Calendário muito preciso, sobre a evolução social e a formação racial da nação brasileira, que é a sétima sub-raça árya.
Este Calendário tradicional chamado “Cronocrator”, sempre muito empregado pelos Antigos, demonstra que os translados das Capitais Federais que acontecem no Brasil, sinalizam com exatidão os ciclos sociais do país, de modo que atualmente vivemos a etapa terciária social que é o nacionalismo e o idealismo, semente da aristocracia espiritual.
Sobre este mesmo Calendário, se baseia e revelação da Religião da Civilização que emprega as bases das evoluções paleontológica, antropológica, etnológica e sociológica da humanidade, e representa a súmula da Doutrina dos Adeptos, preparando a vindoura evolução cósmica da Terra.

Os Pilares da Democracia

Também busca com isto o definitivo aperfeiçoamento da Democracia, ao providenciar a organização dos seus Três Pilares, a saber:

1. Condições de Governabilidade
2. Sufrágio universal
3. Participação social

As “condições de Governabilidade” são dadas, basicamente, pelo equilíbrio demográfico entre campo e cidade.
O sufrágio universal é o voto não-obrigatório e acessível a todos.
E a participação social é a integração dos movimentos sociais independentes, como forma do necessário controle social dos atos dos governantes.

Da obra "As Cidades da Luz - Cidades para o Novo Milênio"

Ver mais

Escola Agartha de Filosofia & Mistérios

A Escola Agartha de Filosofia & Mistérios é uma Escola de Iniciação e de Iluminação (+), alinhada com as perspectivas espirituais da nova Raça-raiz em ascensão. 
A Escola Agartha culmina o Plano da Hierarquia (+) de preparação da humanidade para a Nova Era, trazendo a restauração e a renovação dos Mistérios Eternos.
Trata-se de é uma entidade de ensino esotérico tradicional, com tônica voltada para o Ocultismo Prático e a Alquimia espiritual, assim como para a Astrosofia (astrologia esotérica) e para a Geosofia (geografia sagrada), doutrina na qual se especializa e destaca todavia, a par com as tendências das escolas herméticas sul-americanas, em função do caráter setenário ou consumatório desta região, preparando assim os mistérios da parúsia e do millenium.

A Escola Agartha F:: M:: é, acima de tudo, a “Escola do Verbo” ou a grande Escola Mântrica da Nova Era, pois “no princípio era o Verbo” e pelo Verbo todas as coisas são renovadas.
Propõe inicialmente a busca da Iniciação Solar, somo síntese e resgate da Sabedoria Árya que reúne e sintetiza, por sua vez, a evolução ancestral da Terra através da sua Tríplice Luz (“Trismegisto”), através da formulação correta da síntese da “Palavra Sagrada” AUM que leva à reintegração do Espírito, através do cultivo de Som, Luz e Amor que compõe a essência da Tríade espiritual.

A partir disto, apresenta as Chaves da nova iniciação racial, que já é uma Iluminação Científica, através da revelação da síntese da “Palavra Perdida” IAO que leva à reintegração da Mônada pela fusão de Som, Luz e Amor na Unidade divina do Logos.

A EAFM apura várias novas Chaves da Doutrina Secreta, razão pela qual adotamos também a classificação de Saint Yves d’Alveydre das “Quatro Ciências Sagradas de Agartha”, sendo a Escola especialmente pródiga nestas Doutrina cujos símbolos tradicionais de integração (mandala, yantra, stupa, etc.) são definidos nos seguintes termos:


1. Geosofia .............. o Quadrado (terra, Elementos)
2. Astrosofia ............ o Círculo (tempo)
3. Alquimia ............. o Triângulo descendente (iniciação)
4. Ascensiologia ...... o Triângulo ascendente (iluminação)

Estas Quatro Ciências naturalmente se combinam entre si, como na imagem das “rodas dentro de rodas” da visão de Ezequiel. Outros sistema e doutrinas de LAWS, como O Evangelho da Natureza, o Dharma de Maitreya e o Projeto-Exodus, se valem destas combinações.
A Escola Agartha é uma Escola alquímica e gesófica, como o seu nome sugere, isto é, amplamente voltada para a transformação e para a Geografia sagrada.

Trata-se também de uma escola apostólica ou hierárquica de comunhão. A verdadeira escola iniciática pode assegurar os seus resultados, porque assenta os seus preceitos sobre a Alma, o amor e a divindade, e não meramente no conhecimento.


Uma Escola Aberta

Comparativamente às antigas Escolas de Iniciação, ela é também uma Escola Aberta, que ministra e difunde direta e amplamente os seus Ensinamentos para o público, porque a extensão, a pureza e a profundidade dos mesmos, já acarreta suficientes desafios inerentes. Reserva assim os seus segredos ao essencial, especialmente àquilo que não pode ser comunicado abertamente dentro dos Novos Mistérios (até por envolver treinamento avançado), já que os Antigos Mistérios áryos devem ser apenas restaurados como base para as novas coisas.

A EAFM entende que a premissa da anunciada Reabertura das Escolas de Iniciação, denota não apenas a acessibilidade de nossos membros ao rol dos Mistérios, mas também toda uma renovação de linguagem, tornando os focos dos Arcanos sagrados integrados ao mundo em geral, e não apenas como um culto fechado interno para iniciados seletos, já que se almeja na Nova Era a iluminação coletiva.

Quando Bailey revelou o Plano da Hierarquia, afirmou que na última etapa os ensinamentos do Plano seriam difundidos pelo rádio. Para a Escola, cabe entender tal coisa, não tanto de forma limitada a este veículo eletrônico em si, mas incluindo as mídias abertas em geral (que na época de Bailey se limitavam ao rádio), tal como a televisão e, mais modernamente, a internet, veículos cada vez mais eficazes de difusão da comunicação. A Escola Agartha se vale especialmente da rede mundial, a web, cuja sigla WWW inclusive lembra o símbolo logográfico de Aquário. Tal como o símbolo natural deste signo, também mostra um ancião vertendo fartamente as águas da Sabedoria eterna sobre o mundo.

Assim, os caminhos da Escola Agartha cada vez mais foram sendo orientados para a renovadora e aquariana idéia da Escola Iniciática Aberta, o que estava inclusive previsto no “Plano da Hierarquia”. Na verdade, isto não altera substancialmente as coisas, apenas amplia as possibilidades, dando mais oportunidade para os estudos. Mantém-se praticamente incólumes todos os preceitos das Escolas Iniciáticas Tradicionais, porém adaptadas à preparação de uma época de integração, ou uma Idade de Ouro da civilização. O importante aqui, é compreender que a prática representa o essencial de tudo. O manancial aquariano de informações, impõe justamente a oportunidade e a possibilidade de avançar nas práticas, a partir do conhecimento e do ensino das técnicas, do contrário ele se torna uma simples banalização de dados.


Da obra "Magia Branca & Teurgia - Oriens et Ocidens."

Ver mais
Ver também Teosofia Científica.

A Mensagem do Evangelho Trino


A Chave Trina do Novo Evangelho Eterno, também chamado de “Evangelho da Natureza” e “Religião da Vida”, promete a realização integral do ser humano, através da busca da integração dos seus Princípios unos em Deus, a saber.

1. Criador ...... Mestre .............. Espiritualidade .... Paz
2. Criatura ..... Comunidade ..... Fraternidade ...... Amor
3. Criação ...... Natureza .......... Ecologia ............. União

Este Ensinamento segue a Ordem dos Grandes Mandamentos, que integrados ao novo Terceiro reza:

“AMAI A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS, AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO E À NATUREZA COM O A TUA PRÓPRIA ALMA”

A Boa Nova diz respeito à síntese espiritual que incorpora a Humanidade na Trindade através do Espírito Santo como o “Deus-em-nós” imanente, completando o “Deus-externo” transcendente e o “Deus-conosco” presente.
A palavra “Alma” que encerra o Mandamento Trino, diz respeito ao Espírito Santo, pois o novo Evangelho Eterno representa a aquisição final de uma Alma por parte da Humanidade, possibilitando assim a experiência da Eternidade e a sua redenção final.
O ser humano ou Criatura, é a síntese da Criação e um co-agente do Criador.
Como tal, ele é a própria alma da Natureza, o Senhor da Criação (que é a imagem final da Mãe divina) e um veículo de Deus mesmo, agindo inspirado pelo Espírito de Deus.
Para isto ele deve estar associado ao Pai e ao Filho, a fim de suscitar em si ao Espírito, e como tal se organizar como Igreja (imagem média da Mãe divina), a fim de receber e consolidar o Espírito.
A Boa Nova da Natureza é também a Nova Aliança que prescreve a anterior, dando uma feição mais plena e profunda à Salvação.
Por isto, também se deve buscar o conhecimento das coisas de Deus e sua Criação: os ciclos, elementos e procedimentos, visando o Batismo da Luz ou a sua iluminação glorificante (imagem primeira da Mãe divina).

Da obra "A Religião da Vida"
Ver mais

A Mensagem de Maitreya


O dharma positivo de Maitreya busca a Plenitude,
em complemento ao dharma negativo de Gautama que buscou o Vazio.

1. O dharma do novo Buda Maitreya, traz como meta uma Palavra: FELICIDADE.
2. O dharma do novo Buda Maitreya, traz como meio uma Palavra: EQUILÍBRIO.
3. O dharma do novo Buda Maitreya, traz como moto uma Palavra: HARMONIA.

Este moto/movimento é a Harmonia entre opostos cósmicos do Inventário Dimensional, que em duas etapas de Iluminação e de Ascensão levam a Humanidade e a Hierarquia a:

a. Harmonia “Tempo”: Passado + Futuro = leva ao Presente => leva à Eternidade.
b. Harmonia “Espaço”: Interior + Exterior = leva ao Aqui => leva ao Infinito.
c. Harmonia “Gênero”: Masculino + Feminino = leva ao Amor => leva à Bem-aventurança.
d. Harmonia “Hierarquia”: Superior + Inferior = leva à Luz => leva à Iluminação.

Estar no Presente é ser consciente, Estar na Eternidade é ser supraconsciente.
Viver no Aqui é criar, viver no Infinito é transcender.
Conhecer o Amor é alegria, conhecer a Bem-aventurança é felicidade.
Gerar a Luz é força, gerar a Iluminação é plenitude.

Assim é o dharma de Plenitude de Maitreya, destinado a levar à consumação de todas as coisas.

Da obra "Dharma - A Canção da Vida"

Ver mais

domingo, 30 de maio de 2010